domingo, 26 de setembro de 2010

O AMOR ACONTECE



O primeiro encontro foi no elevador. O cheiro do perfume dele, seu olhar firme, o sorriso tímido, tudo era encantamento e charme. No entanto, não trocaram uma só palavra, naquele dia.
Vários encontros casuais aconteceram. Um dia no corredor da presidência, outro dia na xerox, ainda teve aquele embaraçoso esbarrão na salinha do café. Apenas um toque leve, rápido, fugaz; mas o suficiente para acender o pavio da paixão. Ou do tesão, vai saber...
Com o tempo, veio a urgência de se vê-lo. Tentava adivinhar onde ele estava, em qual departamento se encontrava, só para poder observá-lo.
Quando chegou para trabalhar, certa manhã, viu o papel na mesa. A caligrafia elegante, os traços bem delineados. No bilhete, estava o nome dele, o telefone e o endereço. Logo abaixo, a frase: "Vamos nos conhecer melhor? Te espero hoje no estacionamento." 
Naquele instante, teve a certeza de que havia alguma coisa real acontecendo. Não era fantasia sua. Aquela atração era verdadeira. Não estava imaginando coisas, ele havia percebido sua presença também.
O dia passou arrastado, olhava o relógio todo o tempo. Não via a hora de o expediente chegar ao fim. Ao chegar ao estacionamento, seu coração acelerou, os pelos do braço se eriçaram, um calafrio percorria seu corpo. Olhou para a direita e lá estava ele, parado encostado no carro com aquele sorriso tímido estampado no rosto. Ele era, realmente, o homem mais bonito do escritório. Nossa, é de verdade! Ele veio. Então, isso está mesmo acontecendo, comigo?
Ele saiu de onde estava e veio em sua direção:
- Oi.
- Oi.
- Meu nome é Renato, muito prazer!
- Eu sou o André. E o prazer é todo meu!
Eles sorriram e saíram juntos. Começava ali uma longa e colorida "amizade"!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A PRÓXIMA VÍTIMA

Oi,

Notícias vindas dos corredores da Globo dão conta de que a personagem da atriz Carolina Dieckmann na novela Passione morrerá nos próximos capítulos. Não sei se é verdade, mas se for, só tenho uma coisa a dizer: JÁ VAI TARDE.

Carol nunca foi uma ótima atriz (ela grita muito e atua pouco) e teve o azar de pegar um personagem fraquinho, a Diana de Passione simplesmente não aconteceu. A personagem é chata, mal construída, inútil pra trama e não pegou o público pelo coração. Não deu certo, bola frente, fazer o quê? A morte de Diana pode ser uma saída digna pra moça e, talvez, o autor tenha percebido isso. Caso a personagem morra, devemos parabenizar Silvio de Abreu que salvará Dieckmann de um mico maior. Aliás, a morte da personagem era tudo que Adriana Estevez quis quando fazia a novela Renascer, lembram? Mas, ao contrário de Silvio, Benedito Rui Barbosa insistiu em manter a personagem até o final. Queimou a atriz, que acabou deprimida.

Pois é, essa história de protagonista que não dá certo é antiga na TV. Eu, no lugar da Carol, pediria logo a morte da personagem, assim, quem sabe, ela pode até virar notícia e ser notada.

Fui...
@aharomavelino  

domingo, 19 de setembro de 2010

VOTO COLORIDO

Olá,

Eu havia prometido a mim mesmo que não ia chover no molhado, mas não dá, tem hora que a gente tem que falar ou fica louco. Em ano de eleições, toda atitude nossa toma um outro nível quando pensamos que estamos escolhendo nossos representantes, que estamos escolhendo quem vai decidir sobre nossas vindas, no mínimo, pelos próximos quatro anos.

No Orkut, eu entrei num debate dia desses, quando me mandaram um vídeo onde um pastor convocava o “povo de Deus” para uma cruzada contra o que ele chama de “movimento contra a família”; nem preciso dizer que os responsáveis (na visão dele) pela ameaça à família são os homossexuais. Quem me mandou o vídeo queria que eu tomasse partido do lado do tal pastor. Coitado, fez-me seguir o caminho contrário: o de lutar pelo direito de cidadão que toda pessoa, seja ela GLBT, ou não, tem.

Outra vez digo: vivemos num país laico, as coisas da religião devem ser tratadas dentro das igrejas. O estado precisa garantir os direitos de quem crê e de quem não crê também. Na idade média, quando a religião controlava o estado, a coisa deu no que deu. Temos que ter muito cuidado ao dar o nosso voto, nisso eu concordo com o pastor, mas temos que ter cuidado para não votar em um candidato que apoia a discriminação, o preconceito contra qualquer seguimento da sociedade.

Nesse ano de eleição, veja em quem você vai votar, não é difícil descobrir quais candidatos (seja a deputado, senador, governador ou presidente) que têm uma postura homofóbica. Ao contrário do que muitos religiosos pensam, criminalizar a homofobia não é dar superpoderes aos gays, mas sim, uma questão de direitos humanos.

Sucesso...
@aharomavelino

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

APAGANDO AS VELINHAS


Olá,

Então, gente, essa semana a TV brasileira completou 60 anos (a TV instituição, não o aparelhinho da sua sala). O que dizer dessa jovem senhora? Pois é, temos hoje uma das melhores TVs do mundo (não é brincadeira não), mas... Há algo de errado no reino encantado.

Nunca antes na história de uma TV, emissoras copiaram e compraram tanto formato quanto hoje em dia. Estamos vendo, todos os dias, uma invasão de produtos vindos de fora. Se temos uma das melhores televisões do mundo, por que temos que copiar o que se faz lá fora? Não sei! Talvez, e agora estou filosofando, os diretores de nossas emissoras tenham medo, ou preguiça de pensar. Somos um povo criativo, somos um povo alegre. Sempre que falo com alguém, ele tem uma ideia para um programa criativo (pelo menos, acham que sim). Acho, olha eu filosofando de novo, que se olharem para o Brasil, para o povo do Brasil, as emissoras vão perceber que não precisamos importar nada, mas que podemos exportar ideias, pois somos cheios delas.

E que venham os outros 60 anos.
@aharomavelino

sexta-feira, 10 de setembro de 2010



Olá,

O mundo gira, as coisas acontecem, ou como dizia Cazuza “O tempo não para”. Pois é, essa semana, fomos surpreendidos (ou não) pela notícia de que a cantora e compositora Adriana Calcanhoto oficializara sua relação homoafetiva com a filha do poeta Vinícius de Moraes – a cineasta Suzana de Moraes.

O que me deixou surpreso foi que a notícia não provocou o escândalo que se esperaria dela. As pessoas, com as quais eu falei sobre o assunto, acharam tudo muito comum... Muito natural. E eu digo: é assim que deve ser. Vamos parar com essa mania de achar que “isso não existe”. Gente, Adriana e Suzana não fizeram nada de novo. Muitos casais gays vivem juntos há anos (eu conheço um monte).

Em vários lugares (do Brasil) a justiça já reconheceu relações homoafetivas como válidas. Alguns órgãos públicos idem. Então, por que não se regulamenta logo tudo isso? Simples: demagogia barata! A negação de direitos civis aos gays está diretamente ligada ao lobby religioso que se faz na política brasileira, o que é absurdo, visto que somos (ou nos dizemos) um país laico.

Tem hora que eu acho que o Brasil não existe, que somos fruto de uma imaginação coletiva. Há coisas – que acontecem aqui nessa terra – que são inacreditáveis, mas isso eu comento depois. Parabéns a Calcanhoto e sua companheira pela coragem e pela decisão de viverem seu amor sem barreiras. O que realmente importa é isso: A FELICIDADE!

Abraços fraternos:
@aharomavelino

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...