quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Que fim levou LADY GAGA?

Ainda há salvação para a carreira de Lady Gaga?

A primeira vez que ouvi e vi o clipe da deliciosa “Just Dance”, fiquei empolgado com aquela loirinha com pinta e jeito de David Bowie. Gaga, naquele momento, parecia uma grata surpresa no mundinho repetitivo e então cansativo do mundo pop. Ela dançava bem, tinha uma voz gostosa de se ouvir e possuía carisma (pelo menos era o que aparentava).

Gaga e Bowie "semelhanças"
O tempo passou e minha empolgação com Lady Gaga também passou. A menina que dava pinta de que traria novidade a este universo competitivo da música acabou se mostrando frágil. Gaga escolheu o caminho mais fácil: virar a personagem que ela própria criara. Se no início, seu figurino exótico e sua personagem engraçada parecia uma novidade, com o tempo virou uma piada. A cantora acabou se mostrando uma figura folclórica, caricata.

Se lá no começo da carreira, as referências a outro artista (no caso, Bowie) pareciam um grito de criatividade, no decorrer dela, mostraram-se uma constante. Afinal, a moça se inspirava ou copiava outros artistas? Fato é que Gaga não conseguiu ser original. Tudo o que ela fazia (e ainda faz) nos dava uma sensação de estar tomando café requentado. Quem tem mais de trinta anos (como eu) via em todas as “novidades” apresentadas pela cantora uma pitada de Kylie Minogue, Cyndi Lauper, Grace Jones e, claro, Madonna.

Grace Jones, umas das "inspirações" de Gaga?
O grande problema de Lady Gaga foi se levar a sério tarde demais. Seu último disco “ArtPop” foi prometido como uma revolução musical, uma grande obra de arte. No entanto, o que vimos foi mais um disco de pop como outros tantos. Minto: inferior a muitos (Prism da Katy Perry que o diga). Nem vou falar do samba da Katy, vamos olhar lá atrás. Só a título de curiosidade, “Bionic” (Christina Aguilera), tão esculhambado por fãs de Gaga à época do lançamento por não ter sido sucesso, tem mais arte do que qualquer coisa que Gaga tem feito atualmente. Sem falar nas músicas, o álbum de X-Tina é infinitamente mais gostoso de se ouvir do que a Arte Pop que dona Lady nos ofereceu.


O universo Pop não perdoa. Nos meus vários anos de vida, vi uma infinidade de cantoras surgirem como a nova grande promessa da indústria musical e desaparecerem com a mesma velocidade com que chegaram lá em cima. Se quiser continuar existindo nesse mundinho, dona Gaga terá que rebolar e se reinventar. A dúvida é: será que ela é capaz?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...